Dr. Luiz Gustavo - neurocirurgia funcional • dor • estereotaxia

Novidades

Atrofia de Sudeck

Fonte : Info Escola -

A síndrome da dor regional complexa (SDRC) consiste em uma condição altamente dolorosa e incapacitante, desenvolvida depois de uma lesão traumática de variadas extensões.

A Associação Internacional para o Estudo da Dor sugeriu dividir a SDRC em dois tipos distintos, com base na presença da lesão do nervo em seguida a injúria:

Tipo I: também chamada de distrofia simpático-reflexa (DSR), atrofia de Sudeck, distrofia reflexo neurovascular ou algoneurodistrofia, não apresenta lesões nervosas aparentes.
Tipo II: antigamente denominada causalgia, apresenta evidências de lesões no nervo.

A etiologia desta síndrome ainda não foi muito bem elucidada. Sabe-se que dentre os fatores precipitantes estão lesões e cirurgias, embora existam casos relatados que não apresentam nenhuma lesão identificável.

Esta síndrome pode acometer indivíduos de todas as idades, mas, comumente, é diagnosticada após os 40 anos de idade. Embora afete ambos os sexos, apresenta-se na proporção de 3:1 (mulher:homem). Casos notificados em adultos e adolescentes têm aumentado.

As manifestações clínicas apresentadas por esta patologia costumam surgir próximos ao local da lesão, Os sintomas mais freqüentes a sensação de dor persistente e intensa; podem estar presentes espasmos musculares; inchaço local, intensa sudorese; alterações na temperatura da pele (que varia de fria a quente) e cor (vermelho intenso a um violeta avermelhado); enfraquecimento dos ossos; sensibilidade ou rigidez articular e/ou restrição de movimentos devido à dor.

Tanto estresse emocional quanto físico pode agravar a dor causada pela SDRC. Muitas vezes movimentar ou tocar no membro acometido gera uma dor insuportável.

O diagnóstico é feito basicamente observando-se os sintomas apresentados pelo paciente, uma vez que não existe nenhum teste específico parta a SDRC. Todavia, alguns testes, como termografia, teste de suor, radiografias e cintilografia óssea podem ser úteis na construção do retrato da patologia em questão.

O tratamento desta síndrome é multidisciplinar, abrangendo uso de fármacos e terapias, como:

  • Fisioterapia e exercícios;
  • Psicoterapia;
  • Bloqueios dos nervos simpáticos, englobando a cirurgia de simpatectomia;
  • Estimulação da medula espinhal;
  • Fármacos, como analgésicos, antidepressivos, corticosteróides e opióides.

A demora no diagnóstico e/ou tratamento da SDRC pode levar a graves problemas físicos e psicológicos. O reconhecimento e tratamento precoce oferecem maior oportunidade para a recuperação do paciente.

Notícias

Escoliose Idiopática do Adolescente

Scielo

Aplicativo Text Neck Indicator

Mal de Parkinson: tratamento pode melhorar qualidade de vida

Remédio de Parkinson gera dificuldade para controlar impulsos

Correio Braziliense

Aplicativo de suporte a portadores de fibromialgia

Jornal da USP

Pesquisadores criam dispositivo para eliminar tremores

Terra

Reconheça os sinais iniciais do Parkinson

Parkinson Hoje

Parkinson no ambiente de trabalho

FoxFeed Blog

Consequências do baixo nível de vitamina b12 em pacientes com Parkinson

Parkinson Hoje

Luva promete ajuda a controlar sintomas do Parkinson

Parkinson Hoje
voltar
Dr. Luiz Gustavo - neurocirurgia funcional • dor • estereotaxia