Dr. Luiz Gustavo - neurocirurgia funcional • dor • estereotaxia

Tratamentos

Cirurgia de Hiperidrose

A produção de suor tem relação direta com a regulação de temperatura em nosso organismo. Quando a transpiração é excessiva, além da necessária para a regulação da temperatura corporal, pode ser caracterizado um caso de hiperidrose, e um médico deve ser consultado.

O suor excessivo pode manifestar-se nas mãos, pés, axilas, rosto, sob as mamas, na região inguinal e no couro cabeludo, partes do corpo que contém maior número de glândulas sudoríparas.

A hiperidrose pode ser congênita ou adquirida, ou seja a pessoa pode nascer com a doença ou adquiri-la com o passar dos anos devido a algum problema de saúde como distúrbios da glândula tireóide ou da hipófise, diabetes, tumores, menopausa, certos medicamentos e intoxicações.

Pode  ser incapacitante na vida profissional, acadêmica e social, causando grande constrangimento.

As opções de tratamento são medicamentos, aplicação de toxina botulínica ou a cirurgia denominada simpatectomia por videotoracoscopia. As medicações são utilizadas quando a hiperidrose é generalizada, isto é, abrange várias partes do corpo. No caso da localizada, quando atinge, por exemplo, mãos e axilas a opção é a aplicação de toxina botulínica ou cirurgia. O paciente deverá conversar com seu médico e avaliar qual a melhor opção em seu caso.

Tratamento Cirúrgico

A cirurgia de Simpatectomia por Videotoracoscopia é realizada através de câmeras de vídeo inseridas no tórax por pequenos orifícios, desta forma interrompe-se a cadeia simpática responsável pelo suor excessivo.

A cirurgia é de baixo risco quando feita por equipe capacitada e o período de internação não excede 24 horas.

O tratamento cirúrgico pode representar a cura definitiva da doença. A pessoa com as axilas e mãos secas volta a ter uma vida normal, consegue trabalhar e ter convívio social normal. 

 

Clique aqui e agende sua consulta. 

voltar
Dr. Luiz Gustavo - neurocirurgia funcional • dor • estereotaxia